no dia em que me agarrei às teclas para escrever o artigo sobre a edição do Help Portrait de 2012 recebi a notificação de uma chamada por parte da organização internacional estimulando a colaboração por parte dos participantes de cada evento, a partilharem a sua visão/história. o que partilho aqui convosco é a versão portuguesa do texto que escrevi em inglês, submetido juntamente com algumas das fotos de ''bastidores'' que fiz nesse dia. [ galeria abaixo ] se se sentirem inspirados a participar em próximas edições, acedam à página oficial dos grupos: http://community.help-portrait.com ou à página de Facebook do evento em Lisboa: www.facebook.com/HelpPortraitLisboa DSC_4962*08122012 O Help-Portrait de Dezembro de 2012 não foi a primeira edição em que participei como voluntária e, apesar de ter sido um tremendo sucesso, não me atrevo a dizer que tenha sido um evento ainda mais rico que a edição anterior. Com gordos sublinhados opino que foi uma magnífica edição, rica como a anterior, rica como as que venham a ocorrer. Cada uma com as suas pérolas e preciosas vivências, enriquecidos nós pela cumulativa experiência. Como voluntária nesta equipe sinto a honra de fazer parte de um sonho colectivo, um sonho que se torna real pela congregação de energia plural, um sonho que oferece inspiração a quem dá e quem recebe.  Como em cada acto de Amor, é difícil etiquetar quem é o dador ou o receptor. A interacção é sempre dinâmica, alimentando a oportunidade de dar espaço e luz a cada actor desta história. Contando com a mágica, dedicada e atenta preparação do coordenador do evento em Portugal, esta edição do Help-Portrait proporcionou sorrisos a centenas de rostos. Bem cedo pela fresca manhã já era visível a adrenalina das ansiadas respostas a um sem fim de expectativas: equipas de futebol, uma banda rap, famílias, amigos - desfilando em gamas de idades desde bebés a anciãos. O evento ocorreu no Centro Social da Musgueira, o centro fundado no início dos anos 60 por voluntários inspirados em prestar ajuda às famílias mais carenciadas e/ou problemáticas do bairro - marcado por um frágil ambiente social nos arredores de Lisboa. As suas acções variam num largo leque de áreas, visando ''a promoção social e humana, a capacitação, o desenvolvimento, a aprendizagem em conjunto, a integração.'' Desde a preparação do espaço à entrega das fotografias emolduradas, testemunhamos momentos de ansiedade, dedicação, euforia, desejo, entusiasmo, brincadeira, generosidade, tensão, vaidade, cooperação e competição. Quando todo o tipo de emoções sobe ao palco, é possível presenciarmos a verdade que cada vida encena. Cada fotografia torna-se realisticamente viva: representam histórias e actores, apresentados e representados por pessoas reais, desafiadas pelas aventuras da vida quotidiana. Pude ver e sentir nos sorrisos emoldurados o luminescente poder do encanto pela sua imagem capturada; o orgulho de partilharem com outros a beleza que irradiam - singular e colectivamente; o sentimento de serem merecedores de mimos e cuidados, de receberem luz e atenção; a inspiração de reconectar com o potencial de irradiar todos os dias, partilhando o melhor sorriso e animando outros com o seu entusiasmo. Há qualquer coisa no olhar para uma magnífica fotografia de um ídolo e sonhar ser tão belas(os) quanto… E depois, há aquela outra coisa que é olhar para o magnífico que é o teu ser posando para essa foto, recordando-te que bela(o) já o és. Recordando: trazendo vida a essa memória para a tua experiência quotidiana. Entusiasmada com o potencial deste evento e com os efeitos que gera, vejo-nos equipa já em alinhamento para a contínua melhoria que podemos aportar a cada edição. Sinto-me agradecida por todos os sonhadores e realizadores que tornam estes sonhos possíveis de ser vividos, dadores e receptores!  . e sobre o evento de 2012: aqui.